O valor do meu carro diminuiu. Por que o preço do seguro auto aumentou?

Existe um momento bastante delicado para o corretor de seguro auto e este momento, infelizmente, está cada vez mais presente nestes tempos de crise econômica e altas taxas de criminalidade. Tudo acontece quando chega a hora da renovação. O segurado faz a sua cotação seguro auto e descobre, que apesar do seu veículo ter o preço desvalorizado de um ano para o outro e o seu bônus (desconto de renovação) ter aumentado, as plataformas de cálculo on-line e o seu corretor, informam que infelizmente a contratação do seguro será mais cara que a do ano anterior.

Naturalmente vem a indignação e será necessário um pouco de paciência ao segurado para entender este fenômeno. Aqui tentaremos explicar por que isto ocorre e não é, na maioria das vezes, culpa do seu corretor de seguros. Tudo se justifica na formação do preço das coberturas.

As seguradoras têm em seus bancos de dados todas as estatísticas fundadas em eventos anteriores que constroem os seus custos, por exemplo: Um determinado modelo de veículo tem o preço de suas peças bastante aumentado em uma determinada região, por uma questão de baixa concorrência que caracteriza os fornecedores de peças e mão de obra no local onde circula o veículo. Ou então, a política de estoque de peças daquela montadora (fábrica de automóveis), para aquele modelo de veículo aumenta ou diminui o custo de reparos em uma possível colisão. Mas o que anda tirando mesmo o sono de corretores, seguradoras e principalmente segurados é a explosão da criminalidade, esta sim é que pressiona enormemente o número de veículos roubados em todo o país e consequentemente tem ação direta nos custos das empresas de seguros.

A criminalidade tem influência forte no preço do seguro.

Uma seguradora precisa, por exigência de lei, pagar a totalidade e de uma só vez a indenização de um veículo roubado. E no máximo em até 30 dias depois que um segurado tenha cumprido todas as obrigações referentes à regulação do sinistro.

Compreende-se que no Brasil veículo roubado é moeda de troca para as muitas quadrilhas das mais diversas modalidades como, tráfico de drogas, roubo de cargas, venda de peças pirata, assalto a bancos, tráfico de armas, enfim carro roubado é uma moeda muito usada pelos criminosos.

Outra dificuldade para o combate ao roubo de veículos, são as nossas fronteiras muito desprotegidas e as frágeis políticas de combate à criminalidade de nossos vizinhos que permitem a regularização de carros roubados.

A crise econômica, por outro lado, diminuiu a capacidade dos estados de financiar de maneira plena as atividades policiais que sofreram drásticas restrições diminuindo o seu efetivo de repressão ao crime.

O que estamos assistindo neste momento é a necessidade de um grande aporte de capital transferido por parte das seguradoras, para conseguir indenizar um número cada vez maior de veículos segurados roubados.

Um bom exemplo deste crescimento no roubo de veículos é a cidade do Rio de Janeiro. Durante o mês do início da intervenção militar em 2018, aconteceram 4792 roubos de automóveis ou o mesmo que 7 automóveis roubados por hora. Grande parte destes veículos, nunca serão recuperados, por que vão para desmanches clandestinos e suas peças vendidas no mercado negro. Estatisticamente o aumento foi de 11,8%. Em agosto de 2017, o número de veículos roubados no estado do Rio de Janeiro cresceu 51,7%, ante o mesmo mês do ano anterior.

É desnecessário dizer que a maior parte do Brasil também sofreu e sofre ainda com este fenômeno que infelizmente pressiona o orçamento dos nossos grandes grupos seguradores. Estes não têm alternativa a não ser, transferir para o consumidor final a pressão extra na sua planilha de custos.

Seguradoras recusam-se a contratar seguro auto em lugares de maior risco.

Alguns casos tornam-se emblemáticos por que em regiões caracterizadas pelo CEP de pernoite ou o CEP de utilização do veículo, diversas seguradoras recusam-se a contratar o seguro, não importa o valor que o segurado esteja disposto a pagar. As seguradoras simplesmente se negam a assumir aquele risco.

O que fazer para encontrar Melhores preços e aceitação do seguro auto?

Primeiro, precisamos compreender que hoje as ferramentas de contratação estão muito sofisticadas e por tal fato, o segurado pode localizar uma seguradora que consegue garantir seu patrimônio com a melhor relação custo benefício possível. Plataformas de cálculo com muitas opções de seguradoras em seus sistemas como a meuseguromaisbarato.com.br podem, em questão de minutos, encontrar a seguradora que apresenta naquele momento as melhores condições de contratação e portanto, proporcionar através de cotação seguro auto uma economia de até 40% sobre o preço da renovação.

Basta o segurado descrever (através da ferramenta que pode ser acessada por um celular) os dados com o perfil do risco. Após o preenchimento das informações, irá receber pelo e-mail indicado ou WhatsApp, inúmeros orçamentos das maiores e melhores seguradoras do país.  Este procedimento não leva 4 minutos e um contato com os profissionais desta plataforma ajudarão na escolha das melhores oportunidades que podem ser contratadas.

Lembre-se, quanto mais precisas e completas forem as informações em relação ao seu perfil mais economia o segurado fará. Como por exemplo, detalhes do uso do veículo, como é feita a guarda do veículo, locais onde o veículo trafega, informações completas sobre o principal condutor ou possíveis outros condutores.

Não ter pontos da carteira de habilitação ajuda no preço

Importante lembrar que ter um histórico de boa condução ajuda a economizar. Não ter pontos em sua carteira de habilitação aumenta as chances de um preço melhor na contratação. Uma boa dica é consultar possíveis pontos em sua carteira de habilitação. Existe um site que vai ajudá-lo a recorrer de possíveis infrações e multas de trânsito e retirando pontos não contestados de seu cadastro no DETRAN. Trata-se do site Dr. Multas que pode ser acessado em http://www.drmultas.com.br

As informações devem ser precisas na hora da contratação.

Atenção, preenchendo o formulário de risco para a sua cotação seguro auto não deverão ser ocultadas ou alteradas informações cruciais para a construção do preço. Por ocasião de um eventual sinistro a seguradora poderá optar por investigar as condições reais relativas às informações prestadas por você no formulário de risco. Caso a seguradora apure que as informações prestadas pelo segurado na hora do preenchimento foram propositalmente alteradas, poderá até negar-se a pagar a indenização.

Então, é fundamental transmitir as informações da maneira mais correta e precisa possível.

Lembre-se também, de verificar se a seguradora que apresenta as melhores condições de contratação está devidamente registrada na SUSEP, Superintendência de Seguros Privados. Este órgão é o responsável por todo o controle, fiscalização e normatização dos seguros de todos os ramos no Brasil. É um órgão federal subordinado ao Ministério da Fazenda e dá a garantia de que você está contratando o seguro de seu automóvel em uma instituição absolutamente idônea.

Buscando uma maneira de ajudar a proteger melhor o consumidor, disponibilizamos o site da SUSEP Neste site  você poderá consultar quais as seguradoras que estão credenciadas pelo governo federal a comercializar com toda a tranquilidade o seguro de seu veículo.

Boa sorte na sua contratação.

Post relacionados