Aprenda a diferença entre seguro auto e proteção veicular

Geralmente, em uma grande conquista é inevitável não surgir algumas dúvidas relacionadas à obtenção. No caso de conseguir um carro, automaticamente, as pessoas já se deparam com a dificuldade de entender a diferença entre seguro auto e proteção veicular. 

No momento em que um usuário está a procura da proteção de seu veículo, é natural que ele se depare com várias opções que estão disponíveis na internet e no mercado. 

Normalmente, é muito comum as pessoas procurarem por seguros que cobrem roubo, furto e proteção contra colisões. 

No entanto, é natural que em determinados momentos a pessoa fique desanimada ao adquirir um carro, devido aos preços das seguradoras, ou até mesmo ao fazer uma consultoria tributária e revisão dos impostos, como IPVA (Imposto Sobre Propriedade de Veículo Automotor). Além dos impostos, podemos acrescentar as manutenções periódicas, e o consumo de combustível. Esses geralmente, são os principais fatores.

O fato é que, ao adquirir um veículo, o conforto de se locomover para outros lugares é imenso. Porém, com o conforto também vem as responsabilidades, como pôr em prática o curso direção defensiva que foi ensinado nas autoescolas. 

De qualquer modo, o usuário irá se deparar com a opção de contratar seguro veicular ou proteção veicular. Apesar dos nomes serem semelhantes, há diferenças entre ambos. Entenda por partes, como funciona cada serviço. 

O que é a proteção veicular?

Resumidamente, a proteção veicular é um serviço prestado por instituições que podem ser contratadas para obter coberturas no veículo. Usuários que optem por contratar esse serviço, passam a compartilhar os riscos de todo o grupo. 

De forma simplificada, os contratantes irão pagar um valor mensal para ter as coberturas desejadas. Se caso surgir a necessidade de acionar um sinistro, o dinheiro para cobrir os prejuízos sairá de um fundo mútuo. 

Por se tratar de uma instituição que oferece uma proteção veicular, pode ocorrer que, dependendo do sinistro, o valor no fundo não será suficiente para arcar com o prejuízo. Nesse momento, todos do grupo da instituição devem arcar com os gastos.  

Para ficar mais fácil de entender, podemos imaginar uma situação em que houve uma batida lateral no carro assegurado, e para fazer o concerto é cobrado um valor de R $2 mil reais. 

Se o segurado estiver com as mensalidades em dia, a associação irá tirar o valor do fundo comum dos associados.  O valor que for tirado do fundo comum, será exatamente o valor no qual foi calculado, ou seja, R $2 mil reais. 

Se porventura o valor não estiver disponível no fundo, os R $2 mil reais deverão ser repartidos entre os associados que fazem parte da instituição. 

A grande vantagem dessas instituições de proteção veicular é que, se caso possuem 20 associados, cada associado deverá arcar com R $100 reais de prejuízo. Logo, o reparado será feito normalmente no veículo. 

Temos um artigo explicando sobre os cuidados que devem com essa modalidade. Clique aqui para ler.

O que é seguro auto

Diferente da proteção veicular, o seguro auto é vinculado à SUSEP (Superintendência de Seguros Privados) e que, por sua vez, são seguradoras que comercializam o seguro dos automóveis, sendo este, o seu principal produto. 

Quando se trata do seguro, o cliente que contrata o serviço passa ser cliente da empresa, e não um associado. Logo, a seguradora assumirá todos os riscos que podem acontecer, de acordo com as coberturas contratadas pelo cliente. 

Tecnicamente falando, ao acionar um sinistro que está presente na apólice, o segurado terá o seu prejuízo totalmente coberto. 

Como na maioria das seguradoras, há a franquia. No momento em que o sinistro seja apenas parcial para o conserto do carro, por exemplo, é cobrado apenas a porcentagem da franquia. 

Resumidamente, a franquia é o custo de responsabilidade do consumidor para o conserto do veículo. Por contrato, a franquia é especificada. Dependendo de como a seguradora funciona, a taxa pode ser como um valor fixo, ou percentual. 

Para entender melhor, caso a franquia tenha um valor fixo de R $1 mil reais, e o conserto do veículo ficou no valor de R $3 mil reais, o segurado pagará apenas R $1 mil reais para realizar o reparo do automóvel, o restante para pagar ficará sob responsabilidade da seguradora. 

Dependendo de como aconteceu o evento e as perdas, o segurado poderá solicitar a indenização por perda integral. 

No caso de perda integral, o veículo precisa ter passado por uma série de danos que passam de 75% do seu valor no mercado. Quando isso acontece, o cliente da seguradora terá o valor total do veículo indenizado para realizar a compra de um novo veículo. 

Se o veículo for roubado ou furtado, e não for recuperado pela polícia, o segurado terá novamente o direito de solicitar o valor total do veículo. 

Para ficar melhor a compreensão, separamos por tópicos as diferenças dos serviços. Entre as características da proteção veicular, podemos destacar:

  • Administrado por instituições;
  • Necessita assinar um contrato;
  • O prejuízo é dividido entre as partes;
  • É mais barato que um seguro;
  • Opção mais econômica.

Já entre as características de um seguro para veículos, podemos destacar:

  • Administrado por empresas;
  • É necessário assinar a apólice;
  • Prejuízo é cobrado pela franquia;
  • A franquia é um valor fixo, ou uma porcentagem; 
  • É mais caro que a proteção veicular. 

Através desses benefícios, é possível escolher o melhor tipo de seguro para o seu carro,

Considere alguns fatores antes contratar a proteção

No geral, são fatores que utilizados no momento em que nos submetemos a realizar alguma compra. Inicialmente, é necessário pesquisar a reputação da instituição. Saber a reputação de empresas no geral, na internet, é uma missão fácil. Felizmente há várias avaliações.

Para ser mais específico, pode ser feita uma pesquisa diretamente nas reclamações feitas, opiniões expressas, e principalmente, procurar saber a forma de como agem ao acionar o sinistro. 

Além disso, é importante saber se a instituição possui um certificado digital contábil para que, se for necessário, seja emitido um documento legalmente. 

Por isso, pesquise a fundo se a instituição escolhida realmente existe, para evitar eventuais golpes que podem ser aplicados. 

Por se tratar de um serviço que é mais barato do que os seguros, o usuário deve estudar bem os valores, e concluir se compensa ou não a contratação da proteção. 

Uma característica de instituições que oferecem proteção veicular, é o uso das peças que são utilizadas para reparar os veículos. Nesta parte, o usuário deve se atentar nas peças que são usadas, isso porque algumas usam peças de segunda mão, para reduzir os custos.

Ao reparar um veículo com peças piratas, as chances de danificá-lo são enormes. Esse é o momento em que o termo popular pode ser aplicado perfeitamente, onde “o barato pode sair caro”. 

É comum que algumas pessoas contratem uma auditoria blindagem segurança, por achar mais vantajoso promover a segurança do seu patrimônio contra eventuais ataques. 

Por fim, fique atento, as instituições podem simplesmente serem desfeitas. 

Considere alguns fatores antes de contratar um seguro

No caso dos cuidados que devem ser tomados ao contratar uma boa seguradora, além de saber sua reputação, é necessário estudar as propostas de cada empresa. 

O processo de alteração da apólice de um seguro é similar à alteração contratual razão social, que por sua vez, também é natural estar alterando por motivos de mudanças na empresa. A apólice pode, dependendo do seguro, ser alterada periodicamente. 

Infelizmente, ainda é comum algumas empresas prestarem um mau atendimento ao cliente. Portanto, é necessário novamente que o usuário pesquise o feedback dos clientes com o seguro. 

No momento de adquirir o seguro, é importante que o cliente responda com sinceridade as perguntas feitas. Geralmente, são perguntas do tipo: Onde o carro passará a noite, a frequência em que ele é usado e se ele possui alarme de presença para carros.

Para as pessoas que usam frequentemente o veículo, deve ser considerado a assistência 24h e um carro reserva. Geralmente, esse carro reserva pode ser utilizado por 7 dias, podendo estender por mais tempo a utilização do mesmo. 

Com base na sua experiência com o carro, crie seu próprio laudo de periculosidade, e com ele, ficará mais fácil saber o que deve ser colocado nas coberturas do seguro. 

É muito comum também que algumas pessoas tirem algumas coberturas que, no momento, podem achar desnecessárias e são motivadas por conta do valor ficar mais baixo. Nesse momento, se possível, procure ter a cobertura total do veículo.

Algumas seguradoras oferecem aplicativos para rastrear o carro, funciona como um sistema de gestão de transportes, que centraliza todas as informações do veículo, e sua respectiva localização. 

Por fim, as seguradoras possuem um sistema em que, quanto maior é o valor da franquia, menor é o valor a ser pago para ter a cobertura no veículo. Portanto, fique atento a isso. 


Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Post relacionados